Mudança é a palavra de ordem. Os pacientes falam em nova vida e no consultório percebemos que não é apenas força de expressão. Mas a saúde e a autoestima não mudam sozinhas. Elas precisam da paciência e determinação do operado para darem certo a curto e longo prazo. Por isso, novos hábitos são incorporados à rotina de quem é submetido à gastroplastia.

Alimentação

1ª fase (as duas primeiras semanas)

Fase da alimentação líquida, a primeira após a cirurgia, caracterizada como a fase de adaptação. A alimentação é puramente de líquidos, como o nome sugere, e é constituída de pequenos volumes (em torno de 50 ml por refeição). Tem como principal objetivo o repouso gástrico, a adaptação aos volumes e a hidratação.

A perda de peso é bastante grande nestas duas semanas. Durante a fase, será introduzido no cardápio o uso de complementos nutricionais específicos para evitar carências de vitaminas e de minerais. A orientação nutricional deverá ser iniciada pelo médico e nutricionista já no hospital, antes da alta.

2ª fase (as duas semanas seguintes, 15 dias em média)

É a fase da evolução de consistência do alimento, quando a comida deixa de ser puramente líquida e se torna pastosa. Cremes e papinhas ralas são incluídos no cardápio. A evolução de cada paciente é variável e a escolha de cada alimento deve ser acompanhada cuidadosamente para evitar desconforto digestivo como dor, náuseas e vômitos.

3ª fase (por 30 dias, em média)

Fase que ocorre decorrido 1 mês da cirurgia, é a etapa da seleção qualitativa e da mastigação exaustiva. A seleção de alimentos é menos rigorosa, mas deve-se dar preferência a um cardápio mais nutritivo, com fontes diárias de ferro, cálcio e vitaminas. Nessa fase, o paciente recebe um treinamento para reconhecer quais são os alimentos mais ricos nestes nutrientes. Como a alimentação passa a ser mais consistente, há também a orientação de que o paciente mastigue bastante cada porção ingerida.

4ª fase (após os dois primeiros meses, 30 dias em média)

É a fase da otimização da dieta. A alimentação evolui gradativamente para uma consistência cada vez mais próxima do ideal para uma nutrição satisfatória. Nessa etapa, quase todos os alimentos começam a ser introduzidos na alimentação diária. Somente não são tolerados os muito fibrosos ou muito consistentes.

5ª fase (a partir do 4º mês em diante)

Na quinta e última fase ocorre a adaptação final e independência alimentar. Como nas fases anteriores, também evolui de acordo com as características individuais. A partir dessa etapa, um acompanhamento periódico faz-se necessário para monitoramento da evolução de peso e levantamento de informações sobre possíveis carências nutricionais, como a anemia, por exemplo. A partir de agora, o paciente está apto a mastigar bem qualquer alimento, a comer com moderação e a compreender quais nutrientes não podem faltar em seu prato.

Acompanhamento clínico

Após a gastroplastia, é feito acompanhamento regular com:

Médico-cirurgião – consulta de 15 a 20 dias após a cirurgia para retirada de pontos. Depois, após 6 meses de operado e então um ano depois da gastroplastia.

Clínico e nutricionista – consultas com 1, 3, 6, 9, 12, 18 e 24 meses de pós-operatório. Depois, anualmente.

Psicólogo(a) – acompanhamento em grupo em reuniões mensais, onde a participação será avaliada de acordo com interesse e necessidade do paciente.

Rotina

É importante seguir as orientações dadas pela equipe em consultório, porém, em linhas gerais, os principais cuidados após a cirurgia são:

- Não fique deitado por muito tempo no pós-operatório;

- No pós-operatório, saia de casa somente para tirar os pontos, o que ocorre após 15 a 20 dias da cirurgia. Essa data deve ser marcada quando o paciente souber a data da cirurgia, junto com as datas das consultas com o clínico e nutricionista;

- Após a retirada dos pontos o paciente já pode sair de casa e até fazer caminhadas leves, desde que sempre acompanhado;

- Faça sempre uso da medicação prescrita;

- Mastigue corretamente e coma em pequenas quantidades;

- Beba bastante líquido, mas em pequenos goles para não engasgar;

- Evite os líquidos somente durante as refeições;

- Evite exercícios físicos de grande esforço antes dos três primeiros meses da cirurgia. Somente caminhadas leves são permitidas e depois da retirada dos pontos (tópico com mais informações abaixo);

- Dirigir somente após 30 dias de operado;

- Retornar ao trabalho só é permitido após 30 dias da cirurgia e depende da profissão do paciente. Aquelas que exigem esforço físico só podem voltar a ser realizadas após 45 a 60 dias;

- Sexo é permitido e a volta da libido é sinal de recuperação física e de autoestima (tópico com mais informações abaixo).

Atenção! É importante lembrar que é normal, após a gastroplastia:

- Sentir dor na região da barriga durante o pós-operatório, principalmente no lado esquerdo;

- Acúmulo de gases;

- Ter dificuldade de evacuar, principalmente nas mulheres, pois a dieta é líquida.

Exercícios

O exercício físico é fundamental em uma vida saudável, porém o paciente operado não pode praticar esportes antes de completar três meses de cirurgia. Nada de academia, natação, corrida ou qualquer outra atividade física de esforço. Somente caminhadas leves e depois da retirada dos pontos. Após três meses da gastroplastia é liberado e incentivado o esporte, de preferência com supervisão de um preparador físico.

No período certo, exercícios de resistência e com uso de pesos são recomendados para reforço da musculatura e troca de gordura por músculo.

Atividade sexual

A atividade sexual é permitida após a cirurgia e bem-vinda. A volta da libido é um sinal de melhora física e recuperação da autoestima. Não esqueça que, com a normalização hormonal, a mulher tende a ficar mais fértil. Se engravidar estiver nos planos, a gestação é indicada após 2 anos da gastroplastia e a cirurgia deve sempre ser informada para a orientação do obstetra.

Prevenção da gravidez

É importante que nossas pacientes conversem com o ginecologista, pois será necessário a troca da pílula por outro método anticoncepcional.